Pichau Arena
Uma Batalha de Informações

Team Vikings vence VCT Brasil Stage 2 e vai para Islândia como campeã brasileira

0

A etapa final do Valorant Champions Tour Brasil Stage 2 teve a Team Vikings, atual campeã brasileira, conquistando seu terceiro título nacional.

Com mapas bastante intensos e uma série melhor de cinco que terminou em 3×1, a equipe de Gustavo “sacy” venceu a Sharks Esports e se qualificou, novamente, como o melhor time brasileiro.

Ambas as equipes que disputaram a Grande Final já estão classificadas para o Mundial em Reykjavyk, que acontece ainda este mês.

Veja, abaixo, como foi o confronto:

Ascent

O primeiro mapa da série, escolhido pela Team Vikings, começou com a equipe de sacy vencendo o primeiro pistol pelo lado atacante e rapidamente assegurou seu segundo ponto. Com a chegada do terceiro round, a Sharks conseguiu defender pelo meio e parou o avanço rápido dos inimigos.

O terceiro ponto da VKS veio com um bom ataque pelo bombsite B, que forçou gaabxx e denaro a recuarem para salvar seus equipamentos. Os tubarões começaram a focar em conquistar retakes ao invés de bloquear bombs, mas falham e permitem que a VKS conquiste seu quinto round.

O segundo ponto dos defensores se confirmou com o setup defensivo da Killjoy inteiro estabelecido na entrada do bombsite A e, mesmo com as ultimates de gtn e sacy, a Sharks impediu o plant. Com uma boa recuperação e rápido entendimento da estratégia inimiga, os tubarões conseguem aproximar o placar para 7×5 e terminam a primeira metade de forma positiva.

Com a troca de lados, os dois primeiros ataques da Sharks foi malsucedido e a VKS marcou mais dois pontos. O primeiro ponto ofensivo dos tubarões veio logo em seguida e, desde então, disparou no ataque e conseguiu virar o placar para 10×9.

Mesmo com a VKS tendo conseguido marcar o décimo ponto na defesa, a Sharks não deixou barato e finalizou o primeiro mapa por 13×10 garantindo ótimas entradas em ambos os locais de plant.

Haven

No segundo mapa, de escolha da Sharks Esports, a situação foi diferente. A primeira metade, que contou com a VKS iniciando no lado atacante, foi totalmente dominada pela equipe de sutecas.

Sem qualquer possibilidade de reação defensiva – conquistando apenas o sétimo round da partida -, os tubarões apenas observaram o time inimigo marcar nove pontos agressivos.

A Sharks conseguiu marcar mais um ponto na partida, mas o mapa – que era dito como o ponto forte dos tubarões – foi completamente dominado pela VKS, que finalizou rapidamente o mapa com 13 pontos que não foram vingados.

Bind

No terceiro mapa, a série volta a ficar inconclusiva. Com uma primeira metade disputada, a Team Vikings venceu o lado atacante por 7×5, uma vantagem considerável.

Com a troca de lados, a Sharks voltou a pontuar e garantiu rapidamente o pistol de seu lado atacante e o primeiro armado, empatando o jogo. A VKS, no entanto, não deixou barato e se recuperou no jogo, garantindo um lado defensivo também equilibrado e fechou o terceiro mapa em 13×11.

Com isso, a série seguiu em 2×1 e seguiu para o mapa Icebox, escolha dos tubarões.

Icebox

No quarto mapa da Grande Final, a VKS começou lado atacante e abre o mapa de forma explosiva com os dois primeiros pontos, que são rapidamente cobrados pela Sharks.

Com bastante foco em agressivar pelo bombsite A, a equipe de Saadhak assegurou mais dois pontos antes de começar a rotacionar para o meio em direção ao lado B. Essa movimentação acabou sendo negativa, já que os tubarões estavam bem posicionados com sua Sage e redominaram a área, marcando o terceiro ponto.

A VKS, então, retorna para o bomb A para assegurar o quinto ponto e distanciar o placar para 5×3. Para garantir com folga a primeira metade, os atacantes focam no A e abrem 7×4, mas começam a demorar um pouco mais para avançar e brincam com a rotação inimiga no último round, fazendo bom uso da ultimate de Saadhak e o teleporte de sutecas e conquistando o último ponto de ataque.

Com a troca de lados, os tubarões focam inteiramente no bomb A inicialmente e garantem o pistol. A VKS, então, se posiciona inteiramente para defender o lado A mas não obtém sucesso, de forma que a Sharks consegue seu sexto ponto.

Mesmo com vantagem de entrada pelo lado A, a equipe de denaro rotaciona para o B mas não faz bom uso de seu setup e não consegue realizar o plant, garantindo o nono ponto inimigo; que foi rapidamente cobrado por denaro.

Com o placar em 9×7, a VKS se vê obrigada a forçar a economia para o próximo round – o que funcionou e a equipe garantiu seu décimo ponto. A distância de placar não abala os tubarões que marcam dois pontos consecutivos com entradas agressivas pelo lado A.

A Team Vikings garante o seu último matchpoint da série comum clutch 1v3 de Sacy no bomb A, e a equipe se aproxima de seu terceiro título brasileiro. Sem qualquer possibilidade de reação inimiga, a VKS encerra essa série com vitória por 13×9 e é, pela segunda vez, o melhor time brasileiro.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x